Com direção de Esmir Filho e Mariana Bastos, o curta-metragem Alguma Coisa Assim nasceu em 2006 para mostrar a relação entre dois adolescentes descobrindo sentimentos escondidos e vivendo suas primeiras frustrações amorosas.

Premiado em Cannes no mesmo ano, o curta inspirou o longa-metragem homônimo, que estreia nos cinemas em 26 de Julho. Confira acima.

E confira abaixo o trailer do longa-metragem Alguma Coisa Assim:

Mariana revela:

A realização do curta em 2006 gerou um encontro único entre nós (atores e realizadores).

Transformou nossas vidas – pessoais e profissionais – e o resultado na tela foi uma recepção muito positiva de público e crítica.

Ficou claro que essa experiência tinha combustível para mais que 15 minutos. Ela seria bem-vinda novamente de qualquer ponto de vista.

Deu vontade de entrar de novo no mundo de Mari e Caio, entender o que teria acontecido com aquela relação tão particular, agora com os dois mais maduros, em outro momento da vida, com novos conflitos.

O filme reúne cenas rodadas em São Paulo e Berlim nos anos 2006, 2013 e 2016 para contar a história de Caio (André Antunes) e Mari (Caroline Abras), dois adolescentes que saem à noite pelas ruas de São Paulo em busca de diversão.

Para contar o desfecho da história, 10 anos depois, o elenco original voltou à cena.

Caroline Abras, que começou a carreira exatamente com o curta, hoje é a protagonista da série “O Mecanismo”, de José Padilha (Narcos).

André Antunes é, além de ator, psicanalista e professor. Interrompeu sua carreira após a realização do curta e retornou ao cinema através do longa homônimo, em 2016.

Esmir comenta:

O André trouxe para o filme uma visão ampla de como trabalhar com um personagem em constante conflito psicológico e atribuiu seu conhecimento em outras áreas para enriquecer a dinâmica entre os personagens.

Conhecido internacionalmente por trabalhos como “007 – Cassino Royale” e “Praia do Futuro”, o ator alemão Clemens Schick completa o elenco.

Através dos dois personagens e de três momentos, Alguma Coisa Assim mostra uma geração que busca representatividade através dos próprios questionamentos.

Enquanto o curta acompanhava Mari e Caio – um jovem casal de amigos explorando a noite de São Paulo, descobrindo diferentes aspectos de sua sexualidade e o que cada um sentia pelo outro – o longa expande a história dos protagonistas e vai até a cidade de Berlim, na Alemanha.

O longa-metragem teve sua estreia no Festival de Cinema do Rio de 2017, onde saiu premiado como melhor montagem.

Foi vencedor de dois Coelhos de Prata no Festival Mix Brasil – melhor roteiro e melhor interpretação para Caroline Abras.

Depois, foi exibido nos Festivais de Guadalajara, Outshine Film Festival e Portland Film Festival, entre outros.

Com a coprodução do Canal Brasil, será distribuído pela Vitrine Filmes.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.