Longa-metragem “Diz a ela que me viu Chorar”, de Maíra Bühler, recebeu o Prêmio Olhar de Melhor Filme.

Aconteceu hoje (12), a cerimônia de premiação do 8º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. Enquanto a cultura passa por um momento de desvalorização, o festival ousou e apresentou a sua maior edição. Foram 131 filmes de várias partes do mundo, divididos em 10 mostras, numa semana que trouxe o cinema para Curitiba, além de incluir duas novas salas, ocupando assim o Espaço Itaú de Cinema, o Cineplex Batel e o Cine Passeio.

“Já que estava tudo muito difícil resolvemos aumentar tudo e ver no que ia dar”, comentou o diretor geral e artístico do festival durante a cerimônia após agradecer aos patrocinadores, equipe, voluntários e ao público. “Em diversos momentos, principalmente durante o final de semana, percebemos que as sessões em todas as sete salas estavam lotadas, o que nos deixa muito felizes e faz acreditar que realmente estamos no caminho certo.”, complementou.

O júri da Mostra Competitiva, composto pela programadora brasileira Flávia Cândida, a cineasta portuguesa Rita Azevedo Gomes e crítico e curador cubano Alberto Ramos, elegeu o longa-metragem brasileiro “Diz a ela que me viu Chorar” como o melhor filme desta edição. O filme francês “Seguir Filmando”, de Saeed Al Batal e Ghiath Ayoub, recebeu o prêmio de Contribuição Artística. O longa-metragem brasileiro “Chão”, de Camila Freitas, recebeu o prêmio especial do júri e também foi escolhido como melhor filme pelo público do festival.

Na Mostra Competitiva de Curta-metragens, o vencedor do Prêmio Olhar foi “Aziza”, de Soudade Kaadan. O curta brasileiro “Sete anos em Maio”, de Affonso Uchôa recebeu uma menção honrosa.

O Olhar de Cinema também premia o melhor longa-metragem brasileiro das mostras Competitiva, Outros Olhares e Novos Olhares e o curta das mostras Competitiva e Outros Olhares. Os premiados foram o longa “Espero tua (re)volta”, de Eliza Capai e ao curta “Quebramar”, de Cris Lyra.

O mesmo júri ficou responsável pela premiação dos filmes da mostra Novos Olhares, entregue ao filme “Não Pense Que Eu Vou Gritar”, de Frank Beauvais.

Na mostra Outros Olhares, o prêmio foi para “No Salão Jolie”, de Rosine Mbakam, enquanto “Indianara”, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa recebeu menção honrosa do júri, formado pelo cineasta André Félix, a pesquisadora e professora Patrícia Machado e o programador Raúl Camargo.

Dentre as produções locais, o júri AVEC-PR composto pelas realizadoras Laís Melo e Letícia Simões e pela professora e pesquisadora Virgínia Flores premiou o curta “Mirror Mirror on the Wall”, de Igor Urban. O curta “Essa Terra Não Vai Terminar”, de Matias Dala Stella recebeu menção honrosa.

Para a crítica, o melhor filme foi “Casa”, de Letícia Simões, que recebeu o Prêmio Abraccine. O júri era formado por Ivonete Pinto, Marcelo Müller e Barbara Demerov.

Confira a lista completa de premiados:

Competitiva:

  • Prêmio Olhar de Melhor Filme para Curta-metragem:

“Aziza”, de Soudade Kaadan

  • Menção Honrosa Curta-metragem:

Sete anos em Maio“, de Affonso Uchôa

  • Prêmio Olhar de Melhor Filme para Longa-metragem:

Diz a Ela Que Me Viu Chorar“, de Maíra Bühler

  • Prêmio de Contribuição Artística:

“Seguir Filmando”, de Saeed Al Batal, Ghiath Ayoub

  • Prêmio Especial do Júri:

Chão“, de Camila Freitas

Público:

  • Prêmio do Público:

Chão“, de Camila Freitas

Prêmio da Crítica / Abraccine:

  • Melhor Longa-metragem da Mostra Competitiva:

Casa“, de Letícia Simões

Novos Olhares:

  • Prêmio de Melhor Filme da mostra Novos Olhares:

“Não Pense Que Eu Vou Gritar”, de Frank Beauvais

  • Prêmio de Melhor Longa-metragem Brasileiro das Mostras Competitiva, Outros Olhares e Novos Olhares:

Espero tua (re)volta“, de Eliza Capai

  • Prêmio de Melhor Curta-metragem Brasileiro das Mostras Competitiva e Outros Olhares:

“Quebramar”, de Cris Lyra

Outros Olhares:

  • Prêmio de Melhor Filme da mostra Outros Olhares | Longa

“No Salão Jolie”, de Rosine Mbakam

  • Menção Honrosa:

Indianara“, de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa

Prêmio AVEC-PR:

  • Melhor curta-metragem da mostra Mirada Paranaense:

“Mirror Mirror on the Wall”, de Igor Urban

  • Menção Honrosa:

“Essa Terra Não Vai Terminar”, de Matias Dala Stella

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.