A Morte te dá Parabéns! (Happy Death Day, 2017); Direção: Christopher Landon; Roteiro: Scott Lobdell; Elenco: Jessica Rothe, Israel Broussard, Scott LobdellRuby Modine, Rachel Matthew, Charles Aitken, Jason Bayle, Phi Vu, Rob Mello; Duração: 96 minutos; Gênero: Comédia, Suspense; Produção: Jasom Blum; Distribuição: Universal Pictures; País de Origem: Estados Unidos; Estreia no Brasil: 12 de Outubro de 2017;

Confira a crítica em vídeo de Márcio Picoli, clicando no player acima! Aproveite e clique aqui para conhecer o nosso canal do YouTube.

A Morte te Dá Parabéns! 02

Conceitualmente, A Morte Te Dá Parabéns! (Happy Death Day) é deveras interessante e, pela pegada de seu trailer, parecia entender completamente o que devia fazer para funcionar. Mas a sucessão de assassinatos que a protagonista sofreria se tornaram uma curiosidade ainda maior, no meu caso, quando descobri que, nos Estados Unidos, o filme havia recebido uma das censuras mais baixas.

Ainda que o PG-13 (censura 13 anos) permita a presença de violência, muito por conta da negligência do órgão regulador de censura norte-americano, mesmo com a vista grossa da MPAA a certeza era de que, se enquadrando nessa faixa etária, obrigatoriamente não haveria presença de sangue no filme.

Um slasher sem sangue não é um slasher completo. Ou é? O fato é que essa característica reflete perfeitamente bem o estado do que encontramos no filme como um todo, que realmente se adequa mais ao público juvenil, tentando mesclar um pouco da dinâmica metalinguística de “Pânico” (“Scream”) com a narrativa de “Feitiço do Tempo” (“Groundhog Day”).

As diferenças, no entanto, são gritantes. Afinal, Christopher Landon e Scott Lobdell, respectivamente diretor e roteirista, estão muito distantes da competência de realizadores como os filmes que aqui servem de influência e até referência -literalmente.

A Morte te dá Parabéns! 03

O que inclusive faz ser uma escolha arriscada optar por trabalhar com um elenco majoritariamente desconhecido, com exceção de Israel Broussard, que já havia estrelado um dos filmes de Sofia Coppola (“O Estranho Que Nós Amamos”). O elenco, portanto, não só se mostra uma saída errada como falha em dar suporte ao que funciona em A Morte te dá Parabéns!

Não surpreendentemente, mesmo o mais conhecido dos nomes não consegue imprimir um trabalho convincente, ainda mais quando ao lado de Jessica Rothe (praticamente uma extra em “La La Land”), a protagonista do filme. A atriz é quem se faz a exceção e consegue entregar a melhor atuação do filme, ainda que não seja nada extraordinário. Contudo, são suas caras e bocas grandes responsáveis pela maioria das risadas que rendem o filme, onde ela acaba por revelar-se dona de enorme carisma e capaz de gerar uma empatia suficiente.

Mas pouco o filme auxilia em tais quesitos também, porque tudo soa demais como um Filme B. Parcialmente devia ser essa mesmo a intenção, mas nos pontos em que se quer levar a sério acaba destoando. Muito porque não se entrega completamente a ideia de ser isso ou aquilo, revelando uma incapacidade de ser completamente satírico. O meio termo não é suficiente para vender a proposta como deveria.

A Morte te dá Parabéns! 04

Aqui pesa também a incompetência de diretor e roteirista. Primeiro porque o roteiro não tem o requinte necessário para fazer o texto transitar entre o crível e o lúdico, rendendo sequências que são constrangedoras porque são piegas nos momentos errados. A simplicidade do que é feito apela a obviedade e, quando tiramos o tom de surpresa, matando a reviravolta, o que parece genial é puramente disfuncional.

Por isso a censura é uma peça tão importante quando pensamos em A Morte te dá Parabéns! Uma causa sem consequência representa perfeitamente bem o que é o filme, que quer posar de inteligente, mas é inteiramente ingênuo. Não sendo capaz, portanto, de conjurar a força necessária para, finalmente, fazer das suas reviravoltas algo que realmente importem, seja por simplesmente não importarem.

Soa incompleto, e soa muito mais como um filme B não porque quer, mas porque falta qualidade ao material com o qual está sendo lidado aqui. Ou seja, a intenção é clara, mas a execução peca. É admirável o que se tenta explorar em A Morte te dá Parabéns! e provavelmente divertirá quem procura por algo despretensioso, mas no fim das contas o filme perde a oportunidade de fazer algo memorável, se é que sequer chegou a ter alguma.

TRAILER LEGENDADO:

Crítica | A Morte Te Dá Parabéns!

A Morte te dá Parabéns! (Happy Death Day, 2017); Direção: Christopher Landon; Roteiro: Scott Lobdell; Elenco: Jessica Rothe, Israel Broussard, Scott LobdellRuby

Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Edição
Summary
48 %
User Rating : 0 (0 votes)

3 Comments

  1. Pingback: Estreias da Semana - 12 de Outubro de 2017 - Cine Eterno

  2. Pingback: Em trailer de Verdade ou Desafio, jogo se torna brincadeira mortal - Cine Eterno

  3. Pingback: Novo Cartaz de Infiltrado na Klan Destaca os Protagonistas do Filme

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.