Quase no fim do festival, cheguei ao 6º dia, cansado, trocando o nome dos filmes, dormindo pouco, mas é sempre muito recompensador ficar todo esse tempo imerso no cinema. Bem, chega de lamentações e vamos para o que interessa.

Os destaques de hoje começam pelo poderoso “Pitanga”, de Beto Brant e Camila Pitanga, documentário que acompanha a trajetória de Antônio Pitanga, lenda do Cinema Novo e presente nos mais relevantes momentos da história do Cinema Brasileiro.

No Palácio dos Festivais, a noite iniciou com o curta “Cabelo Bom”, de Swahili Vidal, documentário muito eficiente ao fazer relações entre cortes de cabelo e racismo. Em seguida, era hora do longa estrangeiro “El Sereno”, de Oscar Estéves e Joaquín Mauad que se propõe a ser um exercício do gênero suspense. Na maior parte da projeção, a fita funciona e o clima claustrofóbico e paranoico dão um charme especial.

Finalizado o primeiro bloco, era hora da entrega do Troféu Cidade de Gramado para o ator Antônio Pitanga. Logo quando chamado ao palco, o homenageado, quebrando o protocolo, chamou sua filha Camila Pitanga para ficar ao lado dele. Emocionada, a atriz ressaltou a importância do pai e contou um pouco de como se apaixonou por atuação. Logo após, foi a vez de Antônio assumir o microfone e comoveu a plateia com seu amor pelo cinema e pela atuação. Em seu discurso, agradeceu à Gramado pela lembrança e ressaltou a importância do cinema feito no brasil e de como, mesmo em tempos difíceis, não se deve deixar de produzir.

Terminada a condecoração, voltamos para mais duas produções. Os trabalhos reiniciaram com o curta “#FEIQUE“, de Alexandre Mandarino cujo tema central são as relações por aplicativos e as suas mentiras. Embora o enredo aposte em situações atuais e relevantes, a direção é bastante equivocada ao exagerar na trilha sonora, na condução das atuações. É muita informação, para um conteúdo que não necessitava disso. E a noite encerrou com a projeção do “Pela Janela”, de Caroline Leone. Que filme! Sem dúvida, a melhor película do festival até agora. O que a diretora e atriz conseguiram atingir nessa fita é algo impressionante. A crítica completa do filme você encontra aqui: https://youtu.be/ucEVpVEPMkk

É isso por hoje! Até amanhã.

About the author

Editor-Chefe do Cine Eterno. Estudante apaixonado pelo universo da sétima arte. Encontra no cinema uma forma de troca de experiências, tanto pelas obras que são apresentadas, quanto pelas discussões que cada uma traz. Como diria Martin Scorsese "Cinema é a importância do que está dentro do quadro e o que está fora".

Related Posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.