Título Original: Eddie the Eagle

Direção: Dexter Fletcher

Roteiro: Sean Macaulay e Simon Kelton

Elenco: Taron Egerton, Hugh Jackman, Jo Hartley, Christopher Walken

Produção: Adam Bohling, Rupert Maconick, David Reid, Matthew Vaughn, Valerie Van Galder

Estreia Mundial: 26 de Fevereiro de 2016

Estreia no Brasil: 31 de Março de 2016

Gênero: Biografia/Comédia/Drama

Duração: 106 minutos

Classificação Indicativa: 12 anos

eddie-the-eagle-taron-egerton-hugh-jackman-set-photo

Eddie “The Eagle” Edwards conquistou a fama quando se tornou o primeiro competidor a representar o Reino Unido no Ski Jumping olímpico. Principalmente pelo fato de ser muito desacreditado, o caminho para chegar até as olimpíadas não foi nada fácil, tendo em vista que havia o preconceito pelo fato de ele estar começando muito tarde no esporte, além da óbvia falta de apoio por parte da família, especialmente, seu pai. Mas não, Voando Alto, em nenhum momento, quer focar nas dificuldades do protagonista, muito pelo contrário, lida com todas essas situações de forma muito engraçada e leve, sem precisar apelar para o melodrama, provando que o filme não é mais um genérico sobre superação.

No início da história, já percebemos que Eddie (Taron Egerton) é uma criança determinada a conseguir o que quer: não aceita o que já está posto na sua frente, sempre está buscando algo novo, nem que esse novo seja o mais simples, até que um dia ele encasqueta e decide que vai ser um atleta olímpico. Para uma criança, meio gordinha, tal afirmação pode não ser vista com bons olhos, mas, mesmo assim, ele segue no sonho e inicia seus treinos. Contudo, o atletismo acaba não dando muito certo e ele é introduzido ao Ski Jumping e sua nova meta vira ser o primeiro saltador do Reino Unido e, ele consegue, ainda que parcialmente.

De cara, um dos grandes acertos de voando alto é a forma como lida com um tema relativamente pesado. Geralmente, seguir um sonho não é algo divertido, aliás, é muito difícil e requer não só coragem, mas audácia. Porém, no filme, tudo é retratado de forma bastante leve e cômica. E não, as piadas não são com o protagonista e o seu jeito determinado e diferentão, o humor sempre está no entorno: é o técnico do time adversário deveras caricato, é o treinador fazendo alegorias de ski com uma relação sexual, além de uma cena hilária na sauna. Dessa forma, foge-se do humor óbvio que oprime a pessoa que já está numa situação delicada. E, claro, funciona muito bem.

video-eddie-the-eagle-uk-trailer-1-superJumbo

Ademais, a sintonia entre Hugh Jackaman e Taron Egerton é crucial para que entremos no longa que, desde já, adquire o selo “feel good movie”, aquele tipo de filme em que você assiste e sai feliz, mesmo que o final não seja aquela coisa clichê e feliz de sempre. Aliás, Edwards dá uma aula do que é ter um sonho próprio, independente do que os outros digam ou até do que um placar classificatório define. Afinal, não é sempre que vemos alguém ficar feliz e realizado por tirar o último lugar.

TRAILER LEGENDADO

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.