O 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontece em um formato diferente este ano, de 7 a 15 de outubro. Ser online é uma novidade, mas a inspiração e o cuidado da seleção de filmes continuam os mesmos, e agora todo o país tem a oportunidade de conhecê-la.

No dia 7 de outubro, o festival começa em grande estilo com uma produção coletiva, em vários sentidos. O filme escolhido para abrir a edição é o brasileiro “Para Onde Voam as Feiticeiras“, de Beto Amaral, Eliane Caffé (“Era o Hotel Cambridge“) e Carla Café, que une encenações e improvisos de sete artistas de rua de São Paulo, expondo a permanência de antigos preconceitos de gênero e raça. O longa foi selecionado para o Cinelatino Rencontres de Toulouse, mas não chegou a ser exibido por causa da pandemia de Covid-19.

Em todo o delírio de suas fábulas, Glauber Rocha antecipou muita coisa do que vê-se hoje no país. Em “Antena da Raça“, Paloma Rocha e Luís Abramo resgatam diálogos, trechos, cenas dos filmes e entrevistas feitas pelo diretor do Cinema Novo e os atualizam com personagens reais, atores da nossa tragédia contemporânea. É com esse filme, que intercala passado e presente, que o Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba encerrará sua 9ª edição.

FILME DE ABERTURA E ENCERRAMENTO:

“Para Onde Voam as Feiticeiras” (Brasil, 2020, 89 min.), de Beto Amaral, Eliane Caffé, Carla Café (abertura)

“Antena da Raça” (Brasil, 2020, 71 min.), de Paloma Rocha e Luís Abramo (encerrament0)

1 Comment

  1. Pingback: Destaques do 9º Olhar de Cinema - Cine Eterno - Cinema Sem Fronteiras

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.