No próximo Domingo (26/02) acontece a tão aguardada cerimônia de premiação do Oscar, o Academy Awards que esse ano chega a sua 89ª edição.

Com apresentação de Jimmy Kimmel, a cerimônia terá transmissão ao vivo no Brasil apenas na TV paga, via TNT a partir das 20 horas. Nós faremos uma cobertura especial em nossa página do Facebook durante o dia todo. Confira aqui a lista de indicados.

Minhas apostas finais:

  • Melhor filme:

Deve e pode ganhar: La La Land – Cantando Estações

O musical de Damien Chazelle largou como franco favorito desde o início, ganhou Globo de Ouro, o BAFTA, o prêmio do sindicato dos Produtores (PGA) e está prestes a se consolidar no Oscar. A grande dúvida é saber o nível do amor da Academia ao longa, que pode agraciar um grande número de estatuetas para a produção.

Meu voto: La La Land. É um ano no qual considero cinco, dos nove indicados, grandes filmes. Me divido muito entre este e Moonlight – Sob a Luz do Luar que considero uma obra incrivelmente marcante, porém o musical de Chazelle me conquistou de modo único. Uma pena que não possa dar empate…

Faltou: Dá pra fazer outra categoria de melhor filme com os esnobados da categoria, porém a ausência mais perturbadora de toda a temporada de premiações foi com Silêncio, de Martin Scorsese. O estúdio Paramount infelizmente boicotou o projeto do diretor, pelo torpe motivo dele não aceitar uma edição mais comercial do filme de quase 3h de duração. Silêncio é um projeto pessoal de Scorsese no qual coloca a fé cristã sob perspectiva. Trata-se de um dos melhores filmes do diretor nos últimos anos, merecia mais atenção.

  • Melhor diretor

Deve e pode ganhar: Damien Chazelle, La La Land – Cantando Estações.

Chazelle está prestes a ser o diretor mais jovem laureado com o Oscar de melhor direção da história. Inicialmente pensei que isso fosse algo no qual iria diminuir suas chances, mas o amor pelo longa acabou quebrando tais barreiras e o tornando favorito, sobretudo após vencer o prêmio do sindicato dos diretores (DGA).

Meu voto: Damien Jenkins ou Barry Villeneuve? Realmente eu acho essa categoria bastante equilibrada, com exceção da presença inoportuna de Mel Gibson, acho os demais 4 indicados ótimos e com direções opostas entre si. Como votaria em La La Land em filme, opto então por Barry Jenkins, de Moonlight, para diretor, opção que o tornaria o primeiro negro laureado com o prêmio.

Faltou: Poderia falar muito bem de Scorsese e seu Silêncio, mas vou colocar aqui Pablo Larraín, um diretor chileno que tinha como opção dois filmes sobre figuras históricas totalmente não convencionais das cinebiografias. Larraín é um dos diretores mais promissores e autorais que apareceram esses tempos, merecia portanto mais consideração, seja por Jackie ou por Neruda.

  • Melhor ator:

Deve ganhar: Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar

O irmão mais novo de Ben Affleck despontou com favoritismo, sendo o ator mais premiado do ano por associações de críticos. No entanto, surgiu uma denúncia antiga de que ele abusou sexualmente de uma mulher, sendo processado pela mesma, algo que pode ter afetado suas chances, sobretudo após ser derrotado no SAG. Sua vitória no BAFTA deu um gás a mais a ele, acredito que ele deva ganhar, ainda que seja bastante criticado por isso.

Pode ganhar: Denzel Washigton, Um Limite Entre Nós

Denzel ganhou o SAG de forma surpreendente, demonstrando ser a alternativa ao favoritismo de Casey. Contudo, ele nunca tinha ganhado aquela premiação, o que pode ter sido só uma recompensa. Ainda assim não duvido de seu potencial, de alguém que tem tudo para ser o terceiro ator na história a ter três estatuetas, o primeiro negro dos grupo.

Meu voto: Casey Affleck, Manchester à Beira-Mar. Por mais difícil que seja separar artista e sua vida pessoal, a performance de Affleck é um primor e se sobressai ainda mais diante de um ano tão fraco para as performances masculinas.

Faltou: Adam Driver, Paterson, numa performance que remete muito ao favorito Affleck. Merecia ao menos uma indicação, ainda mais por Driver ser um ator bastante promissor.

  • Melhor atriz:

Deve e pode ganhar: Emma Stone, La La Land – Cantando Estações

Categoria polêmica, começou com todo mundo achando que Natalie Portman ganharia sua segunda estatueta graças ao hype de interpretar a ex-primeira dama Jacqueline Kennedy. Como o filme teve uma recepção bastante aquém, Emma Stone começou a crescer ao lado da francesa Isabelle Huppert. Parece que o embate ficou entre as duas, com ampla vantagem pra Stone que, além de estar no filme mais queridinho do ano, ganhou o SAG, BAFTA e o Globo de Ouro.

Meu voto: Emma Stone, La La Land. Por mais que eu ame Huppert, a performance de Stone me conquistou assim como o filme, ela é uma atriz extremamente promissora e carismática, sua vitória me soa merecedora. Não ficaria triste com a vitória da francesa, muito pelo contrário, porém meu voto é na ruiva.

Faltou: Annete Bening, Mulheres do Século XX. A atriz veterana sempre sofreu por ter perdido várias vezes em anos no qual começou com favoritismo, esse ano sequer foi indicada quando era tida como concorrente certa. Bening merecia mais consideração, Hollywood precisa respeitar mais suas estrelas quando elas envelhecem.

Melhor ator coadjuvante:

Deve ganhar: Mahersala Ali, Moonlight

Essa é a categoria mais embolada de todas as principais. Mahershala começou com favoritismo, sendo assim como Affleck o ator mais premiado em sua categoria. Porém, perdeu o Globo de Ouro pra alguém que sequer foi indicado ao Oscar. Venceu o SAG, mas perdeu o BAFTA. Acredito que o ator deva ganhar, sobretudo após a polêmica do #OscarSoWhite.

Pode ganhar: Dev Patel, ganhou o BAFTA o que deu uma musculatura para sua candidatura, além do fato de se tornar o primeiro ator descendente de indiano a vencer o prêmio.

Meu voto: Ali está incrível, merecedor.

Faltou: Outra categoria na qual poderia ser refeita com os esnobados, porém ausência perturbadora para mim é de Hugh Grant, o veterano que nunca foi indicado na premiação, tinha tudo para ter um Oscar de carreira e foi esnobado. Lamentável.

  • Melhor atriz coadjuvante:

Deve e pode ganhar: Viola Davis, Um Limite Entre Nós. Viola ganhou tudo, já pode preparar o discurso e o vestido.

Meu voto: Naomi Harris, Moonlight – Sob o Luar. Acho difícil alguém se opor a um prêmio para Viola Davis, no entanto fico triste que este será um prêmio por carreira e não por merecimento. Fico com Naomi Harris que está soberba.

Faltou: Greta Gerwig, 20th Century Women. Uma atriz muito subestimada, pena.

  • Melhor Filme estrangeiro:

Vai ganhar: O Apartamento, Irã. O favoritismo de Toni Erdmann foi quebrado após a política anti-imigração do governo de Donald Trump, não permitindo o diretor e os atores do filme iraniano de entrarem nos Estados Unidos para a cerimônia de premiação. Com isso, é bem capaz do Oscar usar isso como “resposta” ao novo presidente.

Pode ganhar: Toni Erdmann, da Alemanha. De favorito virou segunda opção…

Meu voto: Erdmann, o longa alemão é um dos mais autoriais e potentes dos últimos anos!

Faltou: Neruda, do Chile. Larraín merecia mais consideração!

  • Melhor roteiro original:

Deve ganhar: Manchester à Beira-Mar

Pode ganhar: La La Land – Cantando Estações

Meu voto: Mulheres do Século XX

Faltou: Toni Erdmann

  • Melhor roteiro adaptado:

Deve ganhar: Moonlight

Pode ganhar: A Chegada

Meu voto: Moonlight

Faltou: Silêncio

  • Melhor fotografia:

Deve ganhar: La La Land – Cantando Estações

Pode ganhar: Lion – Uma Jornada Para Casa

Meu voto: Silêncio

  • Melhor edição:

Deve, pode ganhar e é meu voto: La La Land – Cantando Estações

  • Melhor mixagem de som:

Deve, pode ganhar e é meu voto: La La Land – Cantando Estações

  • Melhor edição de som:

Deve ganhar: Até o Último Homem

Pode ganhar: La La Land

Meu voto: La La Land

  • Melhor animação:

Deve ganhar: Zootopia: Essa Cidade é o Bicho

Pode ganhar: Kubo e As Cordas Mágicas

Meu voto: Kubo!!!

  • Melhor documentário:

Deve ganhar: O.J.: Made in America

Pode ganhar: A 13ª Emenda

Meu voto: A 13ª Emenda

  • Melhor direção de arte:

Deve ganhar: La La Land – Cantando Estações

Pode ganhar: A Chegada

Meu voto: La La Land

Faltou: A Criada

  • Melhor figurino:

Deve ganhar: Jackie

Pode ganhar: La La Land – Cantando Estações

Meu voto: La La Land

  • Melhor maquiagem:

Deve, pode e é meu voto: Star Trek: Sem Fronteiras

  • Melhor trilha sonora:

Deve, pode e é meu voto: La La Land – Cantando Estações

  • Melhor canção original:

Deve, pode e é meu voto: City of stars“, La La Land – Cantando Estações

  • Melhores efeitos visuais:

Deve, pode e é meu voto: Mogli – O Menino Lobo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.