Título Original: The Boy Next Door

Direção: Rob Cohen

Roteiro: Barbara Curry

Elenco: Jennifer Lopez, Ryan Guzman, Kristin Chenoweth, Ian Nelson, John Corbett

Produção: Elaine Goldsmith-Thomas, John Jacobs, Jennifer Lopez, Jason Blum

Estreia Mundial: 23 de Janeiro de 2015

Estreia no Brasil: 26 de Março de 2015

Gênero: Thriller

Duração: 91 Minutos

Classificação Indicativa: 16 Anos

012215-blogs-jennifer-lopez-the-boy-next-door-movie-still

Desde a década a década de 70, mais precisamente com o lançamento do Massacre da Serra Elétrica de Tobe Hooper, o gênero suspense e terror começou a ganhar um grande aliado: a sexualidade. Claro que ele não foi o grande pioneiro, afinal já tínhamos Hitchcock 20 anos antes já fazendo essa mistura, por exemplo. Mas foi com o Leather Face que se criou um novo gênero apelidado de Torture Porn, isto é, terror pornô tortura. Tínhamos sexo junto com sangue em tudo que é filme do gênero como em Sexta feira 13, A Hora do Pesadelo, Jogos Mortais é assim por diante. O grande problema de tudo isso foi a falta de inovação, cada uma das franquias que eu citei acima tiveram, no mínimo, seis seqüências cada e o resultado disso foi que o terror e suspense começou a virar sinônimo de filme ruim.

O Garoto da Casa ao Lado infelizmente não é um torture porn, tinha tudo para ser um, mas prefere se levar a sério e tentar imprimir um suspense psicológico misturado com policial e com um pouco de sexo. Não preciso nem dizer que nada disso funciona, uma vez que o enredo não é nada verossímil. Um garoto que simplesmente pira e resolve dar uma de stalker, começando a perseguir a protagonista sem nenhuma explicação psicológica. Por favor, né.

THE BOY NEXT DOOR

Vamos a “historinha”, então. A professora Claire Peterson (Jennifer Lopez) está passando por uma fase tumultuada de sua vida: recém separada, cuidando de seu filho, Kevin (Ian Nelson), praticamente sozinha até que um certo dia chega Noah (Ryan Guzman), o novo vizinho, que rapidamente começa a frequentar a casa da protagonista. Ele tem 19 anos, é inteligente, tem um corpo escultural. Enfim, todos esses atributos começam a mexer com Claire. Em um final de semana, Kevin vai passar um tempo com seu pai e o caminho fica livre para o vizinho. Após uma noite romântica entre os dois, Noah fica completamente obcecado e começa a perseguir Claire na escola (ele se matricula na aula dela), em casa (ele fica sempre rodando), em tudo que é lugar. E claro, ela não vai na policia, não fala para ninguém porque tem medo que descubram o seu envolvimento com um “aluno”, mesmo que tenha sido apenas por uma noite.

A direção aqui fica a cargo de Rob Cohen (Velozes e Furiosos) que simplesmente chuta o balde: usa e abusa do corpo de Jennifer Lopez, dá closes, mostra ela de roupa curtas e intimas toda hora. Ok, ok, ele também foca em Ryan Guzman, mas não tanto assim, para minha infelicidade. Isso não seria problema se o resto da produção sustentasse isso. As cenas mais sexuais parecem destoar de toda a fita. Por isso que reitero que se fosse um filme que se levasse menos a serio e assumisse o gênero ao qual se propõe, não sentiríamos esse estranhamento em momentos mais quentes.

boy-next-threat

O que me dá mais raiva, ainda, é que a produção do filme é boa, os efeitos especiais são bons, a fotografia cria uma atmosfera deveras interessante, ao passo que a abordagem escolhida é péssima. Em vez de explorar o lado psicopata do co-protagonista mais afundo, criando uma figura que realmente dê medo ou que simplesmente assuma a “galhofa” mesmo, preferem fazer um discurso de moral machista. A mulher, carente e com falta de sexo, resolve ceder às investidas de um garoto muito mais jovem que ela e, claro, é a culpada, é a vagabunda, é a que deve ser punida e perder o emprego. Sim, a fita vira uma corrida contra o tempo para a protagonista abafar essa noite que teve o boy magia.

O Garoto da Casa ao Lado no fim das contas é um thriller sexual daqueles bem ordinários que mais causa risadas involuntárias do que medo ou tensão. Saudades de Sob a Pele e Um Estranho no Lago que conseguiam aliar um suspense aliado ao sexo sem ficar pregando moral e bons costumes.

TRAILER LEGENDADO

About the author

Editor-Chefe do Cine Eterno. Estudante apaixonado pelo universo da sétima arte. Encontra no cinema uma forma de troca de experiências, tanto pelas obras que são apresentadas, quanto pelas discussões que cada uma traz. Como diria Martin Scorsese "Cinema é a importância do que está dentro do quadro e o que está fora".

Related Posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.