Direção: Nick Cassavetes
Roteiro: Melissa Stack
Elenco: Cameron DiazLeslie MannKate Upton
Produção: Julie Yorn
Estreia Mundial: 21 de Abril de 2014
Estreia no Brasil: 8 de Maio de 2014
Gênero: Comédia
Duração: 109 minutos

o-THE-OTHER-WOMAN-facebook

Admito que, quando olhei a sinopse de Mulheres ao Ataque, criei uma imensa expectativa em cima do filme (sei que não deveria, mas, às vezes, é difícil evitar). A ideia de juntar a esposa e as duas amantes como amigas é muito interessante e inusitada. As chances de termos uma comédia extremamente bem construída, mostrando, também, a força feminina, era muito boa. Bom, eu usei o verbo era, pois as chances ficaram só no passado (e na minha inocente cabeça). Por que inovar, se eu posso apostar no confortável? Esse, certamente, foi o pensamento dos produtores. Resumindo a ópera: temos mais um filme com excelente potencial desperdiçado.

Como já adiantei antes, a narrativa gira em torno de Carly (Cameron Diaz de O Amor Não Tira Férias) que vive um relacionamento quase estável com Mark King (Nikolaj Coster-Waldau de Oblivion), mas após a tentativa de fazer uma surpresa ao amante, ela descobre que ele é casado com Kate King (Leslie Mann de 17 Outra Vez). O inesperado acaba acontecendo (se você já viu trailer, ou leu a sinopse, não é mais tão novidade assim) e elas acabam virando amigas e logo começam a procurar os podres do adúltero. “Quem procura acha”, então, elas descobrem que há mais uma amante, Amber, (Kate Upton de O Roubo Nas Alturas) e que, vejam só, também vira amiga delas. O que acontece depois não é muito difícil de prever.

ataque4

Criando basicamente esquetes que vão se utilizando da situação inusitada para tentar fazer rir, o filme não consegue ganhar momento, apesar de introduzir de maneira eficiente a amante número um e a esposa, Amber é definida basicamente pelos seus peitos, já mostrando a economia de personagem. Além disso, toda a estrutura é extremamente previsível, tanto à medida que novos personagens vão sendo apresentados, percebe-se que eles estão aí só pra servir de par romântico para tal personagem e assim por diante. Como iniciei a critica, a ideia de unir as três amantes de uma mesmo homem já é engraçada por si só, no entanto, ocorre a preferência de forçar isso ao máximo através de conjunturas mais vergonhosas do que divertidas, ao invés de explorar a relação das três.

Além disso, por um momento, ainda ocorre a insinuação de que há uma disputa as protagonistas  para ainda ficar com ele, sugerindo que as mulheres, mesmo após serem enganadas, ainda estavam dispostas a ficar com ele, o que, convenhamos, é rebaixar muito o gênero. A direção de  Nick Cassavetes (do excelente Alpha Dog) é bem eficiente e pode ser considerado um dos pontos altos do filme, principalmente o momento em que enquadra a esposa através de um olho mágico de porta, evidenciando o quão distorcido estava o seu campo de visão em relação ao mundo. Ademais, as roupas usadas pelas personagens também representam e muito bem suas trocas de humor, mostrando um cuidado técnico pelo menos.

mulheresaoataque_5-650x400

Mulheres ao Ataque acaba sendo mais um potencial desperdiçado, enredo interessante, mas produção que não sai da zona de conforto, preferindo os clichês do gênero a inovar. Infelizmente, vivemos tempos negros em relação a comédias, tanto em âmbito nacional quanto em internacional, o que nos resta agora é esperar para que o gênero volte a ser mais respeitado pelo próprios realizadores. Quem sabe, há esperanças, ainda. Eu espero.

 

About the author

Editor-Chefe do Cine Eterno. Estudante apaixonado pelo universo da sétima arte. Encontra no cinema uma forma de troca de experiências, tanto pelas obras que são apresentadas, quanto pelas discussões que cada uma traz. Como diria Martin Scorsese "Cinema é a importância do que está dentro do quadro e o que está fora".

Related Posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.