Crítica | O Que Será de Nozes?

Crítica | O Que Será de Nozes?

- in Cinema, Crítica Cinematográfica, Críticas
0

Título Original: The Nut Job
Direção: Peter Lepeniotis
Roteiro: Lorne Cameron e Peter Lepeniotis
Elenco: Will Arnett, Brendan Fraser, Liam Neeson, Katherine Heigl, Stephen Lang
Produção: Woo-Kyung Jung, Graham Moloy
Estreia Mundial: 17 de Janeiro de 2014
Estreia no Brasil: 14 de Agosto de 2014
Gênero: Animação/Aventura/Comédia
Duração: 85 minutos
Classificação Indicativa: Livre

The-Nut-Job-Movie

Em A Era do Gelo, co-dirigido pelo diretor brasileiro Carlos Saldanha, fomos apresentados a um dos personagens mais cativantes das animações modernas, Scrat, um esquilo pré-histórico o qual tinha apenas um objetivo: conseguir salvar sua noz. Suas aparições duravam não mais que 5 minutos e já valiam o filme inteiro. O enredo de O Que Será de Nozes se assemelha muito ao que ocorre com Scrat, porém não com o mesmo carisma, brilho e cuidado.

Uma comunidade de esquilos se vê de mão atadas após perceber que não haverá comida suficiente para sobreviver ao inverno. Em um esforço para resolver essa situação, Max acaba por destruir toda a reserva de suprimentos. Sem outras alternativas, o líder Raccon o expulsa do grupo. Em sua busca para se adaptar ao novo mundo fora do parque, ele se depara com uma loja que pode salvar o inverno de todos, pois está repleta de nozes. Junto com seus amigos, Max bola um plano para transportar os alimentos para a reserva, porém seus planos são constantemente frustrados pelos donos do estabelecimento.

Film_Review_The_Nut_Job-01064

A despeito da série de tentativas de tornar os personagens carismáticos – seja pelas piadas, seja pelas suas histórias – a produção falha miseravelmente no principal quesito a que se propõe: o entretenimento. Enquanto, Scrat em menos de dez minutos cativava e divertia a públicos de todas as idades, o elenco de O que Será de Nozes não consegue nem agradar aos mais infantis em uma longa inteiro. É simplesmente chato e não desperta o interesse de acompanhar a saga dos protagonistas.

Para piorar ainda mais a situação – se já não bastasse a péssima construção narrativa -, a animação investe em uma trilha sonora bem duvidosa. Aqui me refiro especificamente ao uso (sem nenhum sentido, diga-se de passagem) da música Gangman Style do Psy, que poderia ter funcionado há uma ano atrás, quando ainda existia graça. Hoje, contudo, gera vergonha alheia.

The Nut Job_AP

Entretanto, um aspecto que, sem dúvida, chama atenção é a construção dos cenários que, a despeito de serem simples e minimalistas na maioria da projeção, conseguem passar muito bem todo o clima do parque e do outono. Junto com isso, há o emprego do 3D que ajuda a ressaltar a beleza dessas locações, mas que, infelizmente, não acrescenta muito ao desenvolvimento da narrativa.

Cumprindo a péssima impressão que a tradução brasileira já passa, O Que Será de Nozes não consegue sustentar a história a que se propõe; os personagens não são carismáticos; os conflitos pouco importam e, para finalizar com chave de outro, todo o roteiro (que mesmo retratado em 85 minutos) é inchado com cenas de ação e dança desnecessárias. Depois disso, só me resta esquecer da existência desse filme – e também dos créditos finais com os esquilos e o Psy (versão desenho) dançando Gangman Style.

TRAILER DUBLADO

Comentários

comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may also like

Crítica | Me Chame Pelo Seu Nome

Me Chame Pelo Seu Nome (Call Me By