Direção: Edward Zwick

Roteiro: Steven Knight

Elenco: Tobey Maguire, Liev Schreiber, Michael Stuhlbarg, Peter Sarsgaard

Produção: Gail Katz, Tobey Maguire e Edward Zwick

Estreia Mundial: 25 de Setembro de 2015

Estreia no Brasil: 28 de Abril de 2016

Gênero: Drama/Biografia

Duração: 115 minutos

Classificação Indicativa: 12 anos

PAWNSACRIFICE FILME3 (2)

Edward Zwick (Diamantes de Sangue, Amor e Outras Drogas) é um diretor que sabe lidar com a obsessão de seus personagens, uma vez que ele constrói toda a narrativa em cima de alguma condição do protagonista. Em O Dono do Jogo, contudo, a tentativa de inserir um aspecto político – trazido pelo contexto da Guerra Fria – em detrimento da exploração das questões psicológicas como a paranoia e a insegurança, acaba resultando em um filme que, além de não ter foco, acaba por não criar vínculo com o espectador, visto que não se entende as motivações do herói, e as do vilão, tampouco.

Durante os momentos mais tensos da Guerra Fria, a Bobby Fischer (Tobey Maguire), aspirante a melhor jogador de xadrez do mundo, é incumbida a tarefa de derrotar o campeão mundial da categoria que é, pasmem, um russo, Boris Spassky (Liev Schreiber). Em um primeiro momento, ser o número um é uma vontade pessoal do protagonista que, movido sempre pelas emoções, acaba perdendo os jogos para si mesmo. Entretanto, a partir do momento em que o governo dos EUA vê nele uma oportunidade de promover as ideias capitalistas contra as comunistas da URSS – porquanto o embate ocorrerá entre um norte-americano e um russo -, a paranoia e síndrome do pânico começam a aflingir Bobby e, por conseguinte, a influenciar nos resultados das partidas.

Boris Spasski (Liev Schreiber)

Com efeito, o enredo é deveras interessante tanto do ponto de vista político, quanto do psicológico. Primeiro, dado que é intrigante ver como a fita versa sobre a Guerra Fria, mostrando que, a despeito de não haver uma luta armada propriamente dita, os confrontos entre URSS e EUA têm um caráter psicológico assustador, principalmente porque as pessoas podem estar na mira das investigações tanto do lado capitalista, quanto do socialista. E isso fica evidente nas cenas em que Bobby começa a temer ser grampeado, ao passo que Spassky, seu adversário, também tem a mesma sensação. E claro, são nesses momentos que o loga se mostra muito competente, assim como a direção de Zwick.

Por outro lado, assim que as questões diplomáticas começam a ser inseridas, a narrativa começa ir pelos ares. O protagonista, que por si só já é arrogante e petulante, começa a exacerbar essas características e, como o desenvolvimento dele enquanto personagem em transformação é jogado de lado para que a política tome espaço, qualquer vínculo que pudesse ser desenvolvido entre este e o espectador termina. Desta maneira, ficamos apáticos com as atitudes de Bobby, começamos a sentir raiva dele e da forma como ele se comporta e, claro, no clímax não estamos quase caindo da cadeira de tensão pela sua vitória.

Outra questão problemática é que uma das aptidões principais do protagonista é o xadrez, então, logicamente deveriam mostrar o porquê dele ser tão genial ou qual o seu diferencial. Errado. Não, simplesmente não mostram, as partidas são cortadas e ficamos sabendo dos resultados por meio de diálogos, com exceção da última disputa. Porém, como não vimos a maioria dos combates, mesmo que saibamos as regras, não fica evidente qual é a genialidade ou o que de tão diferente ele tem que o faz o melhor do mundo. É, de certa forma, frustrante.

Priester William Lombardy (Peter Sarsgaard)

Conquanto O Dono do Jogo tenha problemas, surpreendentemente, em uma análise do todo, o filme funciona. De fato, a falta de conexão com o protagonista incomoda em vários momentos, mas nada que tire o brilhantismo do enredo que, sim, poderia ser muito melhor se as relações políticas e as psicológicas fossem mais bem aprofundadas. Além disso, Tobey Maguire como protagonista também é eficiente, a despeito de uns tiques que ele têm quando resolve sair gritando do nada. Dessa forma, a fita funciona assim como a Guerra Fria: poderia ter sido grande, mas acabou só na promessa, ainda bem.

TRAILER LEGENDADO

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.