Nome original:No se Aceptan Devoluciones
Ano: 2014
Duração: 1h e 45
Gênero: Comédia/Drama
País de origem: México
Estréia Nacional: 3 de julho de 2014

O cinema latino-americano dificilmente consegue, hoje em dia, emplacar um sucesso além do território nacional, sem pretensões de premiações ou similares. Felizmente, temos casos de longas despretensiosos que conseguem conquistar público e crítica, servindo de amostra do potencial deste tipo de cinema. Eis que chega aos cinemas brasileiros o sucesso mexicano “Não Aceitamos Devoluções”, uma comédia exitosa e surpreendente em todos os aspectos.

Em Acapulco, no México, Valentin (Eugenio Derbez) é o típico mulherengo superficial, beberrão e que não quer nada com a vida. Quando simplesmente “ganha” uma filha vinda de um momentâneo relacionamento com a americana Julie (Jessica Lindsey), ele corre atrás da jovem, rumo à Los Angeles, onde acidentalmente consegue um trabalho como dublê em franquias de Hollywood, então iniciando uma nova etapa de sua vida, aceitando sua condição como pai de primeira viagem, inventando mirabolantes estórias para a filha sobre o paradeiro da mãe. Em dado momento, entretanto, Julie retorna e quer exercer seu papel como mãe, iniciando conflitos entre as partes.

Propositalmente, o longa se apresenta como um clichê ambulante das comédias norte-americanas, mas vai aos poucos quebrando a si mesmo a toda argumentação construída ao longo de sua primeira metade de duração, eliminando o “deja vu” por parte do espectador em já ter visto isso em algum lugar. O roteiro busca satirizar o, muitas vezes idealizado, universo hollywoodiano, abusando de todos os vícios deste grande cinema de mercado. A execução é original e surpreendente, a construção dos personagens é dada de forma precisa e empática, junto a um naturalismo notável na execução.

O elenco interage entre si perfeitamente, todos conseguem ter momentos nos quais demonstram ter personagens totalmente diferentes que as impressões iniciais. Destaque pro Eugenio Derbez, que além de ser simpático, dirige de forma sólida o longa, aproveitando o potencial da argumentação concebida, além de construir espaço para reviravoltas surpreendentes. A jovem Loreto Peralta, faz a filha do protagonista, merece um destaque, visto seu notável desempenho e carisma, mostrando ter um potencial para ser uma revelação futuramente.

“Não Aceitamos Devoluções” consegue ser simpático e original, usa e abusa de clichês para nos surpreender em seu desfecho, com propostas singelas e despretensiosas, retrata acima de tudo como as oportunidades repentinas que a vida nos dá podem ser fecundas e engrandecedoras. Além disso, é uma surpresa vinda do cinema latino, reafirmando o potencial acima do que aparenta, superando em diversos aspectos o americano.

É um cinema ainda em crescimento, mas que consegue surpreender de forma plena e natural, algo que os ianques necessitam reaprender. Felizmente, nós brasileiros estamos fazendo a lição.

TRAILER LEGENDADO

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.