Título Original: Jue di tao wang

Direção: Renny Harlin

Roteiro: Jay Longino e BenDavid Grabinski

Elenco: Jackie Chan, Johnny Knoxville, Bingbing Fan, Eric Tsang

Produção:  Jackie Chan, Charlie Coker, David Gerson, Min Li, Esmond Ren, Damien Saccani, Hongliang Wu

Estreia no Brasil: 27 de Outubro de 2016

Gênero: Ação/Comédia

Duração: 111 minutos

Classificação Indicativa: não recomendado para menores de doze anos

st_02388

Como fui um criança dos anos 90/2000, meu primeiro contato com Jackie Chan foi em seu desenho animado entitulado “As Aventuras de Jackie Chan”. Conforme meu crescimento e amadurecimento como cinéfilo, acabei me deparando com outros trabalho do ator e confesso que sempre o admirei, especialmente pela forma como ele fazia uma pessoa que detesta filmes puramente de ação como eu, gostar de seus longas. Então, não é nenhuma supresa que Fora do Rumo mantenha essa característica de ser sim muito bobinho e simples, mas que antes de tudo, saiba que é na diversão despretenciosa que ganha seus espectadores.

Acho que nem preciso falar muito da sinopse, né? Com certeza você já sabe que o Jackie Chan está interpretando ele mesmo e acaba em uma missão para tentar desvendar a identidade de uma velho assassino conhecido como, pasmem, El Matador. No meio dessa tarefa o protagonista se esbarra com Connor Watts (Johnny Knoxville) e juntos começam sua roadtrip em busca do grande vilão.

Com direito a reviravoltas, surpresas e diversos passeios culturais pelo oriente, Fora do Rumo acerta na simplicidade. Todos sabem que a produção não tem pretensões de ser uma revolução tanto criativa quanto técnica. O essencial para qualquer diretor e roteirista é saber quando deve se levar a sério, e quando não se deve. Assim como Jackie Chan durante todas as lutas sempre parece estar se divertindo, percebo que esse mesmo sentimento impera nos produtores. Afinal, tem que ter culhões para colocar o ator cantando Adele no meio da projeção, conquanto isso não vá alterar em nada o seguimento da narrativa. Ainda que isso, em qualquer outro filme, possa parecer um absurdo, nem percebemos o furo de imediato, pelo simples fato de que já estamos nos divertindo junto com os personagens.

st_03343

Porém, evidentemente, há diversas questões problemáticas. Um delas é a metragem, quase duas horas de sessão pesam, ainda mais quando não há uma grande trama. É divertido, é, mas não quer dizer que não canse. Além disso, o filme demora demais introduzindo personagens que, primeiro, o espectador não vai dar a mínima, e, segundo, serão ofuscados pelo protagonista. O resultado dessa enrolação inicial é que o roadmovie começa, de verdade, quase com 40 minutos de tela, até passar por todos os cenários e paisagens do oriente já é uma hora e meia e ainda falta resolver o plot do vilão. Então, no fim, tudo já está um pouco fatigado.

De qualquer forma, Fora de Rumo é quase que um recado do Jackie Chan para seus comparsas “Brucutus” americanos (Stallone, Bruce Willis…) de que no auge dos seus 62 anos ele ainda consegue, pelo menos, divertir seu público. Aqui ele entrega um filme leve, despretensioso e esquecível. E quem disse que isso não é bom?

TRAILER LEGENDADO

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.