Título Original: The Nice Guys

Direção: Shane Black

Roteiro: Shane Black e Anthony Bagarozzi

Elenco: Russell Crowe, Ryan Gosling, Angourie Rice, Matt Bomer, Kim Basinger

Produção: Joel Silver

Estreia Mundial:  20 de Maio de 2016

Estreia no Brasil: 21 de Julho de 2016

Gênero: Ação/Comédia

Duração:  116 minutos

Classificação Indicativa: 14 Anos

Nice-Guys-scene

O cinema noir, desde seu início lá na década de 40 com os romances meio policiais e alguns mais carregados de suspense com as produções de Hitchcock, veio passando por diversas transformações. Porém, se antes tínhamos figuras conhecidas por este estilo, atualmente, além dos irmãos Coen, é difícil encontrar representantes dessa escola – ou pelo menos nomes relevantes. Um desses nomes que geralmente é esquecido é Shane Black que, a despeito de ser mais conhecido como roteirista de Máquina Mortífera, tem em sua filmografia o ótimo Beijos e Tiros o qual, de certa forma, se assemelha com Dois Caras Legais, seja pela humor macabro, seja pelo enredo sem pé nem cabeça (mas que no final da jornada funciona como um todo). E isso já é o suficiente para colocá-lo entre as mais interessantes produtores atuais do gênero.

Como acabei de comentar, não tem muito o que tentar explicar da trama de um noir, geralmente o enredo é complexo, com diversas subtramas, personagens, pistas. Enfim, vou me limitar a apresentar brevemente os personagens e deixarei, é claro, que vocês tenham a melhor experiência no cinema. Em resumo, March (Ryan Goslin) e Healy (Russel Crowe) são detetives particulares que acabam no mesmo caso: procurar uma tal de Amélia, que sumiu. A partir disso, os dois criam uma amizade curiosa sempre baseada em, praticamente, um sacanear o outro. E daí surge o humor macabro do filme que não tem medo de pegar um pouco mais pesado ao tirar sarro de morte, de sexo, de drogas. Contudo, o mais interessante é que as piadas estão sempre relacionadas a quem está as proferindo ou aos próprios protagonistas, logo, não cai no famigerado politicamente incorreto.

niceguys-1449438449669_1280w

Ademais, é um grande acerto do diretor (e roteirista) saber lidar com os atores. Ryan Gosling tem um ótimo timing cômico; Russell Crowe, não. Então, ele molda o caráter dos dois anti-heróis aos acontecimentos e fica engraçadíssimo, visto que o primeiro aproveita muito suas habilidades com a comédia, ao passo que, no segundo, o humor é construído em função da sua reação mais séria a certos acontecimentos. E nessa dinâmica Dois Caras Legais leva o público nas quase imperceptíveis duas horas de projeção, além de, obviamente, trazer a tona os noirs de boa qualidade – algo que, ultimamente, é difícil de acontecer.

E eu não poderia terminar a crítica sem fazer a piada pronta de que Dois Caras Legais é muito legal (:D).

TRAILER LEGENDADO

About the author

Editor-Chefe do Cine Eterno. Estudante apaixonado pelo universo da sétima arte. Encontra no cinema uma forma de troca de experiências, tanto pelas obras que são apresentadas, quanto pelas discussões que cada uma traz. Como diria Martin Scorsese "Cinema é a importância do que está dentro do quadro e o que está fora".

Related Posts

2 Comments

  1. Pingback: Série Limitada Godless Ganha Trailer Completo - Cine Eterno

  2. Pingback: Crítica | O Predador (The Predator, 2018) - Cine Eterno

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.